PUBLICIDADE

Topo

Histórico

Categorias

Quer beijar no Carnaval? Então esqueça isso!

Soltos S.A.

24/02/2020 04h00

É claro que todo solteiro vai pro carnaval com vontade de dar uns beijos na boca. Afinal esse é a época mais solta do ano, aqueles dias que os casados invejam a vida dos solteiros. Mas e quando a vontade vira uma obrigação, como se o bloco só tivesse valido quando você beijou na boca?  

Você planeja o carnaval por semanas, compra fantasia, monta look com as amigas, entra em grupo de whatsapp de gente que você nem conhece. Aí quando finalmente chega o carnaval, você se monta toda e sai pra rua focada no "é hoje que eu vou dar uns amassos"… mas e quando os dias vão passando e você "não marcou nenhum pontinho"? Não rola aquele mix de dor no corpo e frustração, que derruba a autoestima lá no pé? Então viemos aqui pra te dizer uma coisa: talvez a melhor estratégia pra beijar nos bloquinhos seja justamente não se preocupar em querer beijar. 

Veja também

Você já ouviu aquela lenda do "sempre que eu tô namorando, sou paquerada e quando tô solteira ninguém me quer"? Será que tem algo por trás dessa ironia do destino? Se a gente parar pra analisar, a pessoa que está namorando (em teoria) quando sai com os amigues não está paquerando ninguém. Tá ali pra se divertir, pra jogar conversa fora e não tá nem olhando pro lado. Ela tá sendo ela, autêntica, sem querer impressionar ninguém — afinal de contas, já tá com o dela garantido. E isso transmite segurança. E nesse mundo de felicidade editada, segurança ao vivo e a cores vale ouro bebê!

Agora pense em você: como você é quando está entre seus amigos e como você é quando está em uma balada querendo beijar alguém? Você é a mesma pessoa? Provavelmente não. Com seus amigos você se sente segura: tá de cara lavada, sem querer chamar atenção de ninguém. O mais puro conforto! Na balada você passou horas se maquiando, provavelmente está na expectativa de encontrar alguém, preocupada se a barriga está marcando no vestido e pensando em qual dos dois bonitinhos que você já cruzou olhares você vai apostar. Ou seja, toda travadinha, preocupada em chamar a atenção do crush e cheia de inseguranças… 

Acontece que muita gente vai pro carnaval com a mesma cabeça que vai pra balada, como se a coisa mais importante a ser feita ali fosse beijar na boca. Mas o Carnaval vai muito além da paquera. São dias de descompressão mental, dias de se levar menos a sério, dar risada, fazer amizade, voltar a brincar como a gente fazia quando era criança. Tem paquera também e a gente adora ela, mas quando a gente coloca ela em protagonismo, acaba se desconectando dessa energia linda do carnaval. 

Por isso, talvez a melhor estratégia para beijar gostoso no carnaval s00eja exatamente não se preocupar com isso!  Não estamos te dizendo pra você se fechar ou ficar olhando pra baixo, mas pra dar férias pra essa pressão (interna ou externa) que os solteiros sofrem de ter que conhecer alguém, como se o único job do solteiro fosse ficar buscando o próximo crush.

Então aproveita que são dias mais permissivos, que tá todo mundo mais livre e ninguém tá nem aí pra nada, pra você se soltar do querer agradar e do querer chamar atenção. São cinco dias por ano que você vai ter menos vergonha, menos pudor e menos nóia. Vá pro bloco querendo se divertir, fazer amizades, dançar até se acabar e você vai estar tão plena como quando você está de moletom com os amigos. Acredite, não tem nada mais sexy que alguém que está confortável consigo mesmo! E até na fantasia dá pra ficar mais solta. Você já se preocupa em ficar bonita o ano todo, por que não ficar engraçada, divertida ou ousada? Vamos trabalhar outros adjetivos! Experimente novos lados seus, bota uma peruca diferente e entre no personagem.

Claro, troque olhares, puxe assunto, jogue um charme, mas se não rolar o beijo que você tava na vontade, não feche essa sua cara linda, não desperdice o tempo precioso do carnaval. Brinque, esse momento é seu. Se rolar beijo ótimo… e se não rolar, você vai voltar pra casa contente que cumpriu seu objetivo: ser solta e feliz!

Sobre os autores

Piranhas românticas, André e Carol são experts em solteirice e partidários do afeto mesmo nas relações casuais. Carol está solteira há 6 anos e já não troca a aula de hot yoga por um date mais ou menos. André está solto monogâmico mas já se esbaldou muito na vida de contatinhos. Publicitários e roteiristas, trabalham com comportamento e conteúdo há anos e decidiram se aprofundar no tema que é assunto da manicure à terapia: como se relacionar hoje em dia. Comunicadores, puxam assunto até com o poste e são formados como psicólogos de boteco. Há um ano eles conversam com todo tipo de solteiros e especialistas no soltos s.a. um canal de youtube, instagram e, agora blog, pra explorar as dores e delícias dessa vida solta. Ninguém entende de solteirice como eles: já foram convidados pra falar na Casa TPM, na GNT e no podcasts Mamilos e Sexoterapia (aqui em Universa).

Sobre o blog

Um espaço para trocar estratégias para sobreviver à solteirice e aos relacionamentos em tempos de likes. Quando vale ter uma DR e quando podemos deixar morrer no silêncio? O que significa esse emoji? Assistir stories significa? Experts em solteirice e ótimos psicólogos de boteco, André e Carol compartilham dilemas reais de solteiros e mapeiam possíveis caminhos para não perder a sanidade mental nessa era de contatinhos.

Soltos