PUBLICIDADE

Topo

Histórico

Categorias

Seriam os coaches de relacionamento a nova "dieta da lua" do amor?

Soltos S.A.

04/03/2020 04h00

Se você já foi impactada por um vídeo, anúncio ou até mesmo já comprou um curso online de um coach de relacionamentos nos últimos meses, saiba que não está sozinha.

O mercado de coaching cresceu mais de 300% no Brasil de 2015 a 2019 segundo o  International Coach Federation (ICF) e estimativa é que o segmento tenha movimentado mais de R$ 50 milhões nesse período. Se focarmos apenas no mercado de coaches de relacionamento, os números são igualmente impressionantes: a empresa Marketdata Enterprises estimou que, nos Estados Unidos, esses serviços geram US $ 2,5 bilhões de receita e devem crescer 5,1% ao ano. A projeção é que neste ano de 2020 os valores cheguem a US $ 3,2 bilhões.

Veja também

Surpreendente né? Esses números nos fazem pensar não só por que as pessoas estão consumindo desenfreadamente este tipo de serviço mas qual o real benefício dele. A partir dos relatos que recebemos, percebemos que muitas vezes eles mais atrapalham do que ajudam.

Autoconhecimento vs. Fórmulas prontas

É claro que existem coaches sérios por aí. Em geral estes são os que focam em ferramentas de autoconhecimento, levando os solteiros a mergulharem em si antes de partirem para a paquera.  São processos que convidam à reflexão sobre traumas, medos, valores; propõe a identificação de padrões e a definição de prioridades. Trata-se de jornadas individuais com grande carga subjetiva.

O problema é que existem muitos coaches ganhando fama (e muito dinheiro) com fórmulas prontas que prometem feitos como "conquiste um relacionamento de alto valor em 12 semanas" ou "faça ele se apaixonar por você no terceiro date". Seria essa a gourmetização daqueles lambe-lambes "trago seu amor em 30 dias"? 

Desempoderamento mode on

Foi exatamente numa dessas fórmulas prontas que uma seguidora solta dançou.

" Finalmente encontrei um cara que mexeu comigo no meio da prateleira do Tinder! Pra não deixar esse escapar quis fazer tudo certo e segui todos os conselhos de um coach de relacionamentos. Mas… as coisas não rolaram como o prometido"

Vamos repassar brevemente a história dela por que muito provavelmente você já passou por um momento desses ou conhece alguém que passou.

Combo emocional da nossa solta

Nesse exato momento ela conheceu num app um cara

Resultado

 

E aqui vão algumas das táticas infalíveis do coach que ela aplicou no rolo dela

Aí já, bastante cansado, o cara quase jogando a toalha manda pra ela

Tava presa?!?!

Sim essa é a recomendação do coach. Quando algum cara tentar reativar um papo a mulher deve dizer que estava presa, na cadeia mesmo – como se fosse uma piadinha. O problema é que não só o moço não achou graça como entendeu que o "presa" significava que ela estava enrolada com alguém. Resultado: a história desandou, ele abriu o coração disse que tentou um monte mas cansou daquilo tudo.

NESSE MOMENTO A GENTE DÁ UMA MINI GRITADA : VAMOS PARAR COM OS JOGUINHOS, POR FAVOR?

Nossa solta já tava com a faca e o queijo na mão e a história provavelmente teria se desenrolado com muito mais fluidez se ela simplesmente tivesse focado no encontro e não nas fórmulas. É claro que em alguns casos joguinhos funcionam. Mas é como dieta: dá pra emagrecer comendo só 4 maçãs por dia durante 15 dias? Dá? Esse é o jeito mais saudável e sustentável? provavelmente não. Com as fórmulas e joguinhos é a mesma coisa. Eles podem até funcionar, mas a que preço? Não seriam estas fórmulas as novas "dietas malucas do amor"?

 

ALGUNS CONSELHOS SOLTOS, A PARTIR DESSA HISTÓRIA 

  • Não existem fórmulas prontas

É no mínimo ingênuo e simplista pensar que todos os homens vão reagir da mesma forma às dinâmicas do flerte, não acham? Tem gente que funciona melhor no humor, gente que prefere papo cabeça, gente que adora mandar várias mensagens por dia e gente que aparece uma vez a cada dois dias mas tá lá firme e forte. Para saber o que funciona na sua relação atual a melhor estratégia é estar focada na relação atual – e não estar procurando acertar ou tentando decifrar em qual caixinha encaixar o pretendente. Estar presente, se conectar com o outro e se permitir ir construindo a relação junto é a única forma de fazer ela funcionar ou até mesmo perceber que talvez aquela pessoa não seja de fato a pessoa com quem você quer seguir saindo para conquistar o tal namoro em 12 semanas.

  • Cuidado com o eterno ciclo de dependência

Digamos que você comprou o curso que ensina a conquistar o cara em 12 semanas e deu certo. Ótimo. Agora você tem certeza que as tais regras funcionam e que foram elas que te levaram a sonhada mudança de status do Facebook. Mas e agora? Para manter o relacionamento você também vai precisar de mais um ebook? Para passar de namoro à noivado você vai trocar a viagem das férias para investir a grana numa mentoria?

Existe um risco enorme de dependência dos tais coaches, que seguem criando novos métodos, aulas e módulos para provar que eles realmente sabem conduzir a SUA vida amorosa e que, sem eles, provavelmente você voltará ao limbo dos dates falidos.

  •  Abrace sua maravilhosidade e confie no seu taco 

Quanto mais focada em cumprir regras e repetir frases de efeito você ficar, mais longe estará do seu grande trunfo: ser você mesma. A verdade é que entrar na pira de seguir à risca os tais passos rumo ao encontro perfeito acabam muitas vezes destruindo sua autoestima e apagando sua espontaneidade e autenticidade – e poucas coisas são tão atraentes como alguém espontâneo e à vontade com a própria pele. Desapega do roteiro e lembra que você seu pacote é único. Abraça suas qualidades, suas loucurinhas e neuroses e se joga inteira nos encontros. Busque menos a eficácia e mais o deleite. Seja apenas você e se conecte com a outra pessoa, também única, que se apresenta a sua frente.

  • Redirecione o tempo para coisas que te fazem crescer

Esse tempo gasto em aprender técnicas de joguinho e fórmulas de conquista podem ser muito melhor empregados em atividades que tornam sua vida mais interessante: leia colunas, artigos e livros sobre assuntos pelos quais você sempre teve curiosidade; veja TEds com insights e trajetórias de vidas inspiradoras; assista mais filmes sobre os temas que tocam seu coração. Curta a sua vida e a torne mais rica, completa e complexa. E de quebra, todo esse conteúdo invariavelmente se tornará assunto para os papos nos dates – apostamos que serão bem mais interessantes do que as frases prontas presentes nos e-books.

  • Conquista é uma via de mão dupla

Por fim, vale lembrar que o cara tem que te conquistar tanto quanto você tem que conquistar ele, certo? Já tá na hora da gente parar de colocar todos os homens como eternos príncipes da Cinderella, realizando eternos bailes para receber um infinito número de pretendentes e , assim, eleger aquela que será digna do trono. A vaga de "seu namorado", vale tanto quanto a vaga de "namorada dele". Desapega da gata borralheira e entra no date de igual pra igual. Seduza, conquiste, mas igualmente permita e deseje ser conquistada.

 

Se você quer saber como sobreviver à solteirice em tempos de likes para além dos dias de folia, segue a gente no YouTube e no instagram. Toda semana a gente entrevista solteiros, especialistas e divide nossos aprendizados e teorias. Segunda e quarta estamos por aqui! Manda histórias, questões, dilemas que a gente transforma em pauta!… 

 

Sobre os autores

Piranhas românticas, André e Carol são experts em solteirice e partidários do afeto mesmo nas relações casuais. Carol está solteira há 6 anos e já não troca a aula de hot yoga por um date mais ou menos. André está solto monogâmico mas já se esbaldou muito na vida de contatinhos. Publicitários e roteiristas, trabalham com comportamento e conteúdo há anos e decidiram se aprofundar no tema que é assunto da manicure à terapia: como se relacionar hoje em dia. Comunicadores, puxam assunto até com o poste e são formados como psicólogos de boteco. Há um ano eles conversam com todo tipo de solteiros e especialistas no soltos s.a. um canal de youtube, instagram e, agora blog, pra explorar as dores e delícias dessa vida solta. Ninguém entende de solteirice como eles: já foram convidados pra falar na Casa TPM, na GNT e no podcasts Mamilos e Sexoterapia (aqui em Universa).

Sobre o blog

Um espaço para trocar estratégias para sobreviver à solteirice e aos relacionamentos em tempos de likes. Quando vale ter uma DR e quando podemos deixar morrer no silêncio? O que significa esse emoji? Assistir stories significa? Experts em solteirice e ótimos psicólogos de boteco, André e Carol compartilham dilemas reais de solteiros e mapeiam possíveis caminhos para não perder a sanidade mental nessa era de contatinhos.

Soltos