PUBLICIDADE

Topo

Histórico

Tem que ter resguardo? E daí se Luísa Sonza tiver de casinho novo?

Soltos S.A.

15/06/2020 04h00

Reprodução Instagram

Todo término é difícil mas é preciso seguir em frente, certo? Pelo furor da internet nos últimos dias ante a solteirice de Luísa Sonza, parece que o direito de recomeçar ainda não está liberado pra ela, que não poderá se envolver com outras pessoas impunemente, mesmo já estando oficialmente solteira. Que ano é hoje, produção?

Explicando a polêmica que está rolando na internet (provavelmente encabeçada por uma legião de homens e mulheres machistas): pouco mais de um mês após Luísa Sonza e Whindersson Nunes terem se separado – de forma totalmente amigável e inspiradora, diga-se de passagem – a cantora se mudou para uma casa nova e hospedou o cantor Vitão, com quem está desenvolvendo um novo projeto, que será lançado em breve. Pronto, foi o suficiente para uma chuva de matérias e comentários maldosos, afirmando que os dois estão tendo um caso e, por isso, ela seria uma vadia e Whindersson seria um corno. Tem tanta coisa errada nessas constatações acima que é até difícil saber por onde começar, mas vamos juntos desconstruir essa chuva de preconceitos e julgamentos totalmente equivocados? Já tá na hora não acham?

Veja também

Deixa a solta, solta.

Ficamos aqui pensando… se fosse o contrário – se Whindersson aparecesse com uma nova namorada – muito provavelmente não seria chamado de "vadio", não acham? Por que será que a mulher ainda não tem direito de usufruir sua recém-solteirice? Existe um período mínimo de resguardo para que ela seja considerada uma "boa moça"? Ou ela só poderá seguir com a vida amorosa sem sofrer ofensas assim que seu ex-marido já tiver com alguém? Esse tipo de raciocínio absurdo e machista, infelizmente é mais comum do que gostaríamos. Mas a verdade é que observar uma mulher usufruindo de sua liberdade, solteirice e sexualidade ainda é considerado uma afronta. O correto, nos olhos dos moralistas, seria que ela ficasse em casa, reclusa, sofrendo; como se o tal sofrimento fosse reforçar o seu compromisso e amor ao antigo casamento. Se permitir ser feliz e recomeçar agora é falta de respeito? Falta de respeito seria mentir, trair, se manter numa relação onde já não existe mais amor. E por falar em traição…

Efeito retroativo 

Como se não bastasse o raciocínio acima, a suspeita dela estar saindo com alguém (já que  pessoas nem sabem se ela está saindo mesmo) é o suficiente para a liga da moral e dos bons costumes gritar com convicção: tá vendo, ela traía o ex-marido, eu sabia! De onde vem essa certeza? Faz mais de 45 dias que eles anunciaram a separação, em menos tempo Anitta se separou, conheceu um boy novo e já estão passando a quarentena juntos. Se Whindersson e Luísa disseram que se separaram por que a vida tomou rumos diferentes e que eles preferiram seguir se amando e se respeitando separados, por que as pessoas ainda insistem em achar culpados e criar barracos de novela? O engraçado é que a parte erradaé sempre a mulher… 

Corno por que mesmo?

E se não bastasse a falta de respeito com Luísa, sobrou também para Whindersson. Da mesma forma quando vazaram os nudes de Luísa, Whindersson voltou a ser xingado de "corno" Mais uma vez o puro machismo da montanha escancarado por aqui. Na lógica desse povo é como se ele fosse menos homem por deixar ela solta; como se ela fosse uma propriedade dele ou como se fosse trouxa por que a vida amorosa dela andou antes da dele. Primeiro que a gente nem sabe o que tá rolando na vida amorosa de Whindersson. Depois que não se trata de uma competição. Não "ganha" quem transa com uma pessoa primeiro após a separação. Cada um lida com a nova vida amorosa como pode e quer, não acham?

Talvez todo esse auê – com muita falta de respeito – tenha sido atiçado pelas mesmas pessoas que quiseram criar um roteirinho melodramático para a separação dos dois. Como não acharam vilões na época, seguiram em busca de barracos inventados enquanto acompanhavam a vida dos dois. Nosso recadinho pra esse povo é: deixem Luísa e Whindersson soltos e cuidem das suas próprias vidas. Não tem coisa mais chata que fiscal de cool alheio. Recomeçar é um direito de todos e pode acontecer tão logo quanto a gente coloque um ponto final na história anterior.

 

Se você quer saber como sobreviver à solteirice em tempos de likes, segue a gente no YouTube e no Instagram. Toda semana a gente entrevista solteiros, especialistas e divide nossos aprendizados e teorias. Mande histórias e dilemas que a gente transforma em pauta!

Sobre os autores

Piranhas românticas, André e Carol são experts em solteirice e partidários do afeto mesmo nas relações casuais. Carol está solteira há 6 anos e já não troca a aula de hot yoga por um date mais ou menos. André está solto monogâmico mas já se esbaldou muito na vida de contatinhos. Publicitários e roteiristas, trabalham com comportamento e conteúdo há anos e decidiram se aprofundar no tema que é assunto da manicure à terapia: como se relacionar hoje em dia. Comunicadores, puxam assunto até com o poste e são formados como psicólogos de boteco. Há um ano eles conversam com todo tipo de solteiros e especialistas no soltos s.a. um canal de youtube, instagram e, agora blog, pra explorar as dores e delícias dessa vida solta. Ninguém entende de solteirice como eles: já foram convidados pra falar na Casa TPM, na GNT e no podcasts Mamilos e Sexoterapia (aqui em Universa).

Sobre o blog

Um espaço para trocar estratégias para sobreviver à solteirice e aos relacionamentos em tempos de likes. Quando vale ter uma DR e quando podemos deixar morrer no silêncio? O que significa esse emoji? Assistir stories significa? Experts em solteirice e ótimos psicólogos de boteco, André e Carol compartilham dilemas reais de solteiros e mapeiam possíveis caminhos para não perder a sanidade mental nessa era de contatinhos.